Patrocínio
Araxá
Patos de Minas
Presidente Olegário
Carmo do Paranaíba
Coromandel
Monte Carmelo
Perdizes
Ibiá
São Gotardo
Uberlândia
Araguari
Prata
Sacramento
Frutal
Conseição das Alagoas
Ituiutaba
"Una-se a nós"

quarta-feira, 25 de junho de 2014

0

O CAOS ADMINISTRATIVO INSTITUCIONAL



O CAOS ADMINISTRATIVO INSTITUCIONAL

Durante treze anos de serviço público, dos quais mais de cinco anos foram bem prestados ao serviço de segurança federal, nos últimos oito anos tenho tentado compreender o que motiva tanta desorganização Administrativa em algumas instituições Estaduais que são o poder Estatal na segurança pública. 

Lembro-me do tempo em que estava soldado no Exército onde o setor de pessoal, exemplarmente, buscava o servidor para informar-lhe sobre alguma publicação que ocorria sobre ele na imprensa oficial.

Difícil chegar a uma justificativa plausível para atitudes INVERSAS que ocorrem na esfera da segurança pública Estadual, onde vários servidores são prejudicados pela omissão de seus direitos, além do que, os setores de pessoal que são pagos para acompanhar a situação funcional de cada servidor, não fazem a mínima questão de levar as informações à conhecimento dos profissionais que têm outras atribuições sob seus cuidados.

Isso é o que se pode observar ao testemunhar uma CONFUSÃO generalizada nos atos administrativos, nas interpretações e imposições de comportamentos tidos como sendo mandamentos legais, mesmo sendo nitidamente o inverso, especialmente, as regulamentações que são “desinterpretadas” e, como se faz em uma ditadura, são impostas aos servidores, pais e mães, gestores de famílias, como se não estivessemos em um Estado Democrático de Direitos. 

Vemos que os homens da lei, legítimos representantes do Estado, já não sabem ao certo se estão regidos por uma democracia ou por um outro tipo diverso de governo.

O que tem provocado maior(es) tensão(sões) é a desorientação demonstrada nos mandos e muitos desmandos, os quais, “absurdamente” extrapolam todo e qualquer tipo de mandamento legal, que um dia foi criado para preservação da qualidade dos serviços públicos, além daqueles limites que são criados para manter o controle, civilizadamente, social.

Os atos que a cada dia são impostos aos servidores públicos de quase todas as instituições, DESPERTAM sérias duvidas sobre a que pé se encontra a validade e o respeito aos mandamentos contidos na "jovem Carta", a qual, até bem pouco tempo, era reconhecida como "CARTA MAGNA"; porém, com tão tenra idade, já não se faz ser respeitada.

Fica a dúvida:
Como vou convencer meus comandados a cumprir e fazer cumprir as leis, quando, meus superiores e eu próprio, INSISTIMOS em geri-los de forma absurdamente INVERSA??

Será este um sinal do fim do Estado Democrático de Direito?



Postado por: DJO

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t

Receba novidades deste site em seu E-mail

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...